O Jornal Tocha da Verdade é uma publicação independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

c

c

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Os primeiros apologetas - Memórias de Moriá


Dedicado ao meu querido irmão e amigo Henrique Pereira Ventura

A primeira geração de Moriá foi muito comprometida com o aprendizado das Escrituras e pela sua fiel guarda. A Apologética cristã, muito embora não usássemos esse termo teológico, estava no sangue de todos de tal modo que queríamos aprender absolutamente tudo para podermos refutar os comodismos, as heresias e tudo mais que se opusesse ao preceito cristão anabatista. Erámos ávidos e bastante curiosos acerca do conhecimento com espiritualidade, na verdade, ainda continuamos a ser... O pastor Glauco era o fomentador nato da busca por esse conhecimento, seja dos preceitos cristãos, seja dos dados históricos da Igreja, dos filosóficos, enfim, daquilo que cercasse o ambiente no qual estávamos sendo inseridos visando nosso aperfeiçoamento e formação. Digamos que existia um ar profético que pairava sobre o pastor na preparação daqueles jovens para futuros ofícios na Igreja.
Dentre todos nós, o jovem Henrique se destacava. Vindo de uma família humilde, sem muito interesse em estudos e conhecido em toda a vizinhança pela rebeldia juvenil, Henrique se converteu e começou a reunir qualidades que todos nós, seus vizinhos, não conhecíamos. Logo começou a se aprofundar no estudo das Escrituras. Ele era nosso tira dúvidas quando o pastor Glauco não estava por perto. Suas explicações nos satisfaziam e nos alegravam por ver a lapidação que o Senhor estava operando na vida dele. Neste tempo, ele escrevia em folha de ofício muitos textos à mão, alinhado com uma régia para não sair torto e trazia muita edificação para os leitores. Existia fartura de ideias e seu raciocínio borbulhava produzindo sempre mais. Esse lado de exímio estudioso fez brotar em seu coração um desejo de cursar faculdade. Anos após esse sonho, ele graduou-se em História e exerce o ofício de professor do Estado (Ce) e de outras disciplinas em cursos de preparação para concursos públicos.
Nos primeiros anos da Igreja, Henrique era também conhecido pela ousadia na pregação do Evangelho. Entrava santuário a dentro distribuindo folhetos durante as missas na paróquia. O padre, na frente, ficava louco e exerceu algumas vezes a força bruta para tirá-lo do seu templo. Em outras ocasiões, organizou as “operações desfaz TJs”, nas quais ele liderava um grupo de irmãos de nossa Igreja desfazendo a evangelização das testemunhas de Jeová. Após saírem de uma casa, as TJs ficavam observando nós batermos naquela casa para dizermos que a doutrina jeovista estava errada. Essas operações motivaram muitos debates com os TJs através dos quais o Henrique se sobressaía muito bem. O poder de argumentação dele era tão profundo que as TJs ficaram conhecendo-o pelo nome. Muitos TJs estremeciam quando ouviam falar do nome Henrique. Ele foi, na verdade, o “terror dos TJs” da Piedade.
Para mim, esses dias foram áureos. Foram dias que deixaram muitas saudades; muitos suspiros de prazer veem quando começo a lembrar daqueles momentos marcantes. Mas, acima de qualquer coisa, oro para que meu irmão (Henrique) possa se engajar novamente à Moriá com uma santa disposição a fim de erguer-se em Cristo, voltar a ter uma vida integrada com os valores divinos e reassumir aquele grande exemplo do começo. Moriá também clama pelos seus primeiros frutos!

Pr. Heládio Santos


Um comentário:

  1. Ao contrário dos TJS que temiam os argumentos do professor e Irmão Henrique Ventura, desejo um dia conhecê-lo pessoalmente,poi p tem muita vontade de aprender com o mestre Henrique. A paz do Senhor Jesus Cristo.

    ResponderExcluir