O Jornal Tocha da Verdade é um periódico trimestral independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Celebração: 29 anos de Moriá

Próxima semana (23 a 26/11), a Igreja Batista Renovada Moriá estará celebrando mais uma conferência de aniversário, celebrando a Deus pelo trajeto percorrido sob sua intervenção e orientação.
As conferências, geralmente, tratam de assuntos da História da Igreja, relacionando-os com temas do presente. São ricas em informação e muito esperadas pelos que já participaram em anos anteriores.
Em razão de ter-se comemorado os 500 anos da Reforma, as preleções farão abordagens dentro desse contexto, enfatizando o movimento anabatista e suas aspirações, suas relações com os protestantes e católicos, bem como suas convicções.

Veja o cartaz-convite no início do blog e a programação abaixo:


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

IV Ide por todo o mundo - Cruzada na Beira Mar

O anfiteatro Flávio Ponte, localizado na Avenida Beira Mar, em Fortaleza, foi palco de uma grande cruzada evangelística, o “IV Ide por todo o mundo”, realizada pela Igreja Batista Renovada Moriá, neste quinze de novembro. Com organização primorosa do evangelista Carlos, a participação do conjunto musical da IBRM e a pregação do pastor Glauco Barreira Magalhães Filho, o evento impactou todos os presentes, mas com certa medida graciosa, os transeuntes que faziam caminhada, corridas ou passeavam também perceberam a presença de Deus naquele lugar. O povo que estava ali reunido invocou o Nome do Senhor a fim de que o mesmo realizasse grandes coisas durante o culto. Os cânticos entoados, as orações oferecidas e a pregação tocante transformaram aquele ambiente num lugar santo, onde o Espírito de Deus operou com poderosa medida.
         Com cerca de 700 pessoas assistindo o evento, fomos elevados a perceber o frescor da dimensão espiritual. Não um clima comum ou emocional. Um cuja origem procedeu do trono da graça, visto que se sentiam confirmações de que a noite reservava bênçãos maravilhosas. O olhar reverente do povo, os cantos bem direcionados, o anseio e o anelo pela presença de Deus faziam com que aqueles momentos fossem diferentes. Mesmo quem nunca havia ouvido falar de Cristo, nos termos da pregação, sentiu-se impulsionado para aquietar seu espírito para procurar entender o que estava acontecendo naquele lugar.
Desta maneira, o pastor Glauco Barreira em mais uma de suas poderosas pregações fez os ouvintes entenderem o propósito da morte de Cristo, seu significado e por quem Ele morreu. Corações foram tocados e chamados para o aprisco do bom pastor. A influência do Espírito foi tão tremenda que mais de 30 (trinta) pessoas foram à frente confessando o nome de Cristo. Um momento marcante! O clima era tão propício às ações de Deus que a Igreja reunida que assistia tudo pelas arquibancadas, ainda enquanto se fazia o apelo, cantou à capela o refrão do hino 169 da Harpa Cristã: “Oh, por que Jesus me ama? Eu não posso te explicar! Mas, a ti também te chama, pois deseja te salvar!”. Foi empolgante vê o povo em uníssono cantando e louvando a Deus, enquanto convidava o pecador ao arrependimento.

Evangelista Carlos

Pastor Edimilson em oração

Grupo de músicos

pastor Glauco, pastor Edimilson e Gustavo dos Santos

Fabiano entoando cânticos

Pastor Glauco fazendo leitura das Escrituras












apelo



convertidos



segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Historiador anabaptista defende separação igreja-estado

Em palestra realizada em Fort Worth, Texas, em 21/02/2008, o historiador anabaptista Abraham Friesen nos ensinou algumas premissas do anabatismo:
Com o tema: "Radicalmente cristão: um estudo do anabatismo do século XVI", ele ressaltou que os anabatistas foram fiéis cumpridores da Reforma, pois “se viram como cumprindo as implicações dos primeiros escritos dos reformadores magisteriais, como Martinho Lutero e Ulrich Zwingli. Os anabatistas insistiram que esses reformadores se afastaram de seus primeiros ensinamentos baseados na Bíblia, voltando-se para o uso do raciocínio dedutivo e do Antigo Testamento para justificar suas visões mudadas”.
“Esse raciocínio dedutivo - isto é, passar de uma premissa teológica importante para a interpretação da Escritura - era contrário ao princípio fundamental da Reforma da sola Scriptura (somente as Escrituras). Afinal, a doutrina da autoridade bíblica exigia o raciocínio indutivo, construindo princípios teológicos sobre a interpretação bíblica. Friesen explicou em sua primeira palestra que os reformadores magistrais herdaram a doutrina da sola Scriptura, com sua exigência de raciocínio indutivo, do teólogo Agostinho do século IV. Ironicamente, eles também herdaram o raciocínio dedutivo de Agostinho, adotando sua doutrina da universalidade da igreja e sua interpretação da parábola de Cristo sobre o trigo e a joia.”
“Em seu debate do quarto século com os donatistas, Agostinho interpretou a parábola de Cristo sobre o trigo e a joia (Mateus 13: 24-30) para significar que os incrédulos (joios) existiriam ao lado dos crentes (trigo) dentro da igreja (campo). Além disso, esses incrédulos serão finalmente removidos da igreja no final dos tempos. Os donatistas, em troca, apontaram que o próprio Jesus interpretou essa parábola (Mt 13: 36-43), explicando que o campo não era a igreja, mas o mundo. Agostinho respondeu esta crítica, apontando que a igreja cobriu o mundo inteiro, e a parábola, portanto, aplicada à igreja.”
“Esta interpretação da parábola do trigo e do joio, disse Friesen, ‘foi ocasionada pela crescente universalidade da igreja’. Foi um exemplo de raciocínio dedutivo e os reformadores magistrais empregaram a interpretação de Agostinho para enfrentar os desafios dos anabatistas que estavam enfatizando o batismo do crente e uma associação da igreja regenerada. Ao fazê-lo, eles abandonaram a base unicamente bíblica de suas doutrinas, dependendo, em vez disso, de princípios teológicos que lhes permitiram interpretar as Escrituras para apoiar suas opiniões.”
“Segundo Friesen, essa inconsistência entre os reformadores magisteriais era sintomática de uma questão maior, a saber, as relações igreja-estado. A Dieta de Nuremberg de março de 1523, argumentou, deu às autoridades seculares o poder de dirigir a Reforma, criando um problema para os reformadores. Na Dieta, esses líderes civis autorizaram a pregação do Evangelho, mas proibiram qualquer mudança das cerimônias da igreja, mesmo que essas práticas contradizem a mensagem dos reformadores.”
“A intervenção política nos primeiros anos da Reforma transformou todo o movimento e forçou os reformadores a rever seus primeiros cargos ou enfrentar, como os anabatistas, um futuro cheio de perseguição, disse Friesen. Os reformadores magistrais optaram por se submeter às autoridades seculares. Portanto, eles tiveram que justificar as práticas da igreja, como o batismo infantil, através do uso do raciocínio dedutivo e uma maior dependência do Antigo Testamento.”
“Em sua palestra final, Friesen argumentou que o espírito revolucionário exibido em anabatistas radicais como Thomas Müntzer e Melchior Hoffman não se originou dentro do movimento anabaptista.”
“Os anabatistas pacíficos se opuseram ao uso da espada, não só por ofensas, mas também por fins defensivos, sofrendo o martírio por causa disso, disse Friesen. ‘Além disso, como esperamos demonstrar, a ideologia por trás das tendências revolucionárias entre os radicais não veio do movimento anabatista, mas foi importada do exterior, vindo diretamente do maior pai da igreja ocidental, o próprio Agostinho”.
“Um milênio após a morte de Agostinho, sua interpretação da parábola de Cristo sobre o trigo e o joio, combinada com o crescente senso de que o fim do mundo estava próximo, voltou a “assombrar o mundo cristão”. Na interpretação de Agostinho sobre a parábola, incrédulos permaneceriam na igreja até que os servos de Deus os removessem no final dos tempos. Com visões do fim iminente do mundo, alguns anabatistas tomaram suas próprias mãos para serem servos de Deus, purificando a igreja pelo uso da espada. Muitos proeminentes líderes anabatistas, no entanto, se opuseram a este espírito revolucionário, juntamente com a interpretação agostiniana da parábola de Cristo, desde o início.”

Texto completo disponível em: https://swbts.edu/news/releases/anabaptist-historian-defends-church-state-separation/

domingo, 12 de novembro de 2017

Dr. Marcos Eberlin na Capela Moriá - uma maravilhosa visita

Como entender a ordem no universo? Como conceber que os elementos criados cooperam entre si? Será que todas as coisas criadas são frutos do acaso ou existe um artista por trás desta majestosa obra?
Para responder essas questões e outras semelhantes foi que o prof. Dr. Marcos Eberlin visitou na manhã deste domingo (12/11) o templo da Igreja Batista Renovada Moriá, em Fortaleza (CE). Com o tema: “As assinaturas de Deus no universo e na vida”, o Dr. Eberlin (UNICAMP) deixou os presentes entusiasmados com suas afirmações sobre o Design Inteligente. Em sua fala, apresentou elementos objetivos que comprovam que todos os elementos do cosmo procederam de alguém com uma mente elevada e superior, pois para conseguir idealizar este universo tão amplo e tão complexo, com uma singularidade perfeita, somente um Ser superior (Deus) para conceber essa grandiosa arquitetura.
Quem teve o privilégio de participar, saiu recompensado com a magnitude do conhecimento apresentado de forma tão compreensível. Ouvir o Dr. Eberlin, realmente, é um grande privilégio, por isso os membros da Igreja sentiram-se felizes pela oportunidade. 







Cruzada na Beira Mar

Na próxima quarta (15/11), feriado nacional, o pastor Glauco Barreira juntamente com sua equipe de cruzadas e da COMUNIE estarão realizando uma grande cruzada evangelística no Anfiteatro da avenida Beira Mar, localizado na altura do número3660. Será mais um grande evento para a propagação da Palavra de Deus.
São esperados os pastores da ORMECE, suas igrejas, igrejas evangélicas, universitários, membros da Igreja Batista Renovada Moriá e muitos descrentes.
Nas últimas cruzadas realizadas, tivemos um grande número de conversões. Oramos a Deus para que Ele continue nos agraciando.

VENHA PARTICIPAR CONOSCO, UNA-SE EM ORAÇÃO PARA A SALVAÇÃO DE MUITOS!


Encerramento do I Simpósio de Design Inteligente do Nordeste

Design Inteligente afirma que a criação provém de uma mente superior, dotado de todos os atributos necessários para conceber a essência de cada elemento para contribuir com o seu conjunto de forma harmônica, ou seja, essa mente superior é a causa de todas as coisas e de seu equilíbrio. Constitui-se também como contestação à teoria da evolução, proposta por Charles Darwin. Essa confrontação não se limita ao campo das ideias, se pensarmos em nos utilizar apenas da filosofia, mas constitui-se na aplicação de métodos científicos cujas conclusões inquietam os pesquisadores do TDI (Teoria do Design Inteligente), pois apresentam-se contrárias às que afirmam os evolucionistas.
Os pesquisadores da TDI são formados por estudiosas das áreas de biologia, química, física e entre outras afins. Seus trabalhos tem demonstrado alinhamento com os métodos científicos em vigor, porém, pelo fato de contestarem o meio acadêmico majoritário, aqueles que defendem a teoria da evolução com “unhas e dentes”, são considerados retrógrados e religiosos, mesmo que esses estudiosos não atribuam a religiões suas convicções.
Neste contexto, os muitos palestrantes da TDI que participaram do I Simpósio de Design Inteligente do Nordeste atestaram exatamente a máxima de existir por trás de toda obra da criação um sujeito superior, não recorrendo a argumentações consideradas especulativas ou sem o rigor da constatação empírica. Aliás, em muitos momentos o darwinismo foi provocado e confrontado justamente por não conseguir, em hipótese alguma, constatar suas conclusões através do método da observação, obrigando seus defensores a amargar o título de teoria apenas (considere teoria como parte especulativa de uma ciência) ao longo destes quase duzentos anos de proposição darwiniana.
Enfim, o I Simpósio de Design Inteligente do Nordeste cumpriu com seus objetivos. Tanto o prof. Dr. Marcos Eberlin (UNICAMP) como o prof. Dr. Glauco Barreira Magalhães Filho (UFC) se viram recompensados pelo sucesso do evento que atraiu as 400 pessoas para as vagas reservadas. Participaram do evento o Dr. Jonathan Wells (EUA), Prof. Enézio Filho (PUC), prof(a). Ms. Mariana Sá (UFPB), Prof. Ms. Rodolfo Paiva (UNICAMP), prof. Ms. Ricardo Marques (UFC), pesquisador Otângelo Grasso (Suiça), prof. Mr. Douglas Aleodim (UFBA) e prof. Dr. Tassos Lycurgo (UFRN). O evento ocorreu nesta última sexta (10/11) e sábado (12/11), no auditório reitor Antônio Martins Filho, da Faculdade de Direito da UFC. Alunos das universidades públicas e privadas de Fortaleza e Ceará, professores, curiosos, caravanas de cidades do sertão central (Quixadá) e de outros estados do Nordeste abrilhantaram o evento com suas participações. A equipe de organização da COMUNIE (Comunhão Evangélica) estava por trás das câmeras e dos holofotes, mas não deixou de ser percebidas, pois a cada momento do evento se fazia presente, visto que foi quem organizou e administrou com maestria toda a programação. A Casa da Bíblia disponibilizou um stand de vendas de livros temáticos no qual os participantes tiveram a oportunidade de adquirir diversos livros sobre os assuntos. O evento contou com o apoio da TDI Brasil, UFC (Faculdade de Direito), COMUNIE e da Casa Bíblia. 

Prof(a). Mariana Sá




Fabiano Santiano (mediador)

Prof. Rodolfo Paiva

Prof. Dr. Marcos Eberlin, Prof. Dr. Glauco Barreia e Glauco Neto



Prof. Ricardo Marques



Coffee break



Otângelo Grasso 


Perguntas dos participantes









Prof. Enézio Filho e Dr. Jonathan Wells (EUA)