O Jornal Tocha da Verdade é um periódico trimestral independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Os efeitos do Avivamento Galês de 1904

Após alguns levantamentos, constatou-se que cerca de 100.000 pessoas foram impactadas pelo despertamento no país de Gales. Muitos descrentes e uma grande quantidade de membros de igrejas perceberam a falta de salvação em suas vidas. Decorrente disso, eles tiveram uma profunda experiência com Deus de modo que o quadro espiritual foi bruscamente alterado, modificando também o quadro social.

As consequências do avivamento foram notificadas em vilas e aldeias, nos locais de trabalho e de lazer; não houve possibilidade de alguém não ser tocado pelo clima que se instaurou nas regiões por onde o vento do Espírito soprava. As minas, local onde existia um grande fluxo de homens devassos, foram transformadas pelo poderoso impacto de Deus. Mineiros sujos e profanos provaram o dom celeste e não mais praguejavam, injuriavam, nem mesmo incomodavam-se pelo desprazer causado pelo árduo serviço no escuro e sem proteção. Tudo passou a ser motivo para oração e louvor. Agora, trabalhavam e a qualquer sinal de clamor ou pregação, todos paravam, ouviam e meditavam nas santas palavras ungidas. Centenas de homens reuniam-se debaixo da terra para cultuarem a Deus: chefes e subalternos eram elevados à presença do Altíssimo. Palavras tocantes eram proferidas e pronunciadas por bocas que anteriormente só utilizavam uma linguagem torpe, devassa e indecente; mas, noticia-se que naqueles dias de avivamento até os cavalos não mais entendiam os comandos dos seus donos devido à falta de utilização de palavreado impróprio. A alegria era contagiante e o entusiasmo pairava nos agraciados corações. Havia arrependimento, contrição e despertamento. Que clima de renovo espiritual!

reunião de oração e pregação  nas minas
Outros relatos seguem:  

“Há várias histórias registradas sobre a mudança de clima nas minas. Um empregado estava com medo de perder o emprego, porque sua tarefa era cuidar dos cavalos e, agora, todos os mineiros convertidos estavam cuidando com muito mais responsabilidade, cada um do seu próprio cavalo. Mas isso não era o ‘pior’: os cavalos também estranharam a mudança. Acostumados a serem tratados com aspereza, palavrões e agressões, de repente ninguém mais gritava ou dava chicotadas. Os homens haviam sido ‘amansados’ pela operação do Espírito, e os cavalos não lhes obedeciam mais – não estavam acostumados a serem tratados com mansidão!

O grande vício do povo na época era a bebida alcoólica. Os bares foram esvaziados. Muitos faliram e foram obrigados a fechar as portas. Com a queda na bebida, houve queda marcante nos índices de criminalidade. A vida nas famílias foi transformada, porque os homens ficavam em casa e davam mais atenção para esposas e filhos.” (Demoss, Nancy Leigh e Smith, Maurice in o Arauto de sua vinda)

Tribunais ficaram vazios
Além do mover do Espírito transformando o interior, verifica-se uma grande transformação na vida social de Gales. Testemunhos de um médico entrevistado na época refletem a grande mudança:
        
Repórter: “O que o senhor está achando do avivamento?”
Médico: “Estou achando maravilhoso. As pessoas estão acertando todas as suas dívidas antigas. Contas que achei que nunca mais receberia estão sendo pagas.”

Demoss e Smith continuam e informam:

“Um batismo de honestidade, um batismo de perdão, um batismo de reconciliação. Nos tribunais de justiça, às vezes não havia casos para serem julgados. A polícia ficava ociosa e, em um lugar, passou a formar quartetos para cantar nas igrejas, para ocupar seu tempo.”

Que Deus nos conceda o privilégio de contemplar um reavivamento tão profundo como o foi em Gales. Que homens e mulheres se unam nesse espírito para clamarem ao Senhor a fim de Ele nos enviar seu poderoso Espírito. Ore Igreja do Senhor e busque a face do Todo-Poderoso para vê a sua glória.

Pr. Heládio Santos
Prof.IPC

Nenhum comentário:

Postar um comentário