O Jornal Tocha da Verdade é um periódico trimestral independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

Comunie

Comunie

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

O reaparecimento do reavivamento Moriá

“Todo o distrito está sob o domínio duma força espiritual tão extraordinária que não dá sinal algum de diminuir seu poder.”
         O relato acima é o do avivamento ocorrido em 1904. Esse relato foi dado por um jornal da época.
         O avivamento de 1904, ocorrido no país de Gales, foi realmente tremendo. Foi um avivamento que atingiu todo aquele país, levando milhares de vidas a converter-se SEMANALMENTE. As conversões eram radicais, e caracterizadas pelo derramamento de lágrimas, confissão de pecados e uma posterior experiência da plenitude do Espírito. Vinham repórteres de toda parte para ver aqueles fenômenos espirituais. Os jornais não noticiavam outra coisa. Grandes homens de Deus, como Gyspy Rodney Smith, F.B. Meyer, G. Campell Morgan e o General Booth (fundador do exército da salvação) foram ver com os próprios olhos aquela obra de Deus. O posterior avivamento Azuza (que expandiu o pentecostalismo) se inspirou no avivamento de Gales e com ele manteve contato.
         O avivamento no país de Gales começou quando um crente chamado Evan Roberts, membro de uma igreja denominada “Igreja Moriá” foi cheio do Espírito Santo. Vejamos o seu relato: “Um suor desceu pelo meu rosto e lágrimas brotaram rapidamente até que pensei que o sangue também brotava. Logo o Sr. Davies se aproximou para enxugar meu suor. Quando eu sentia tudo isso, o auditório cantava a pleno coração – ‘Estou indo, estou indo, Senhor para Ti’. Daí um grande peso veio sobre mim, pela salvação das almas perdidas”. Essa experiência de Evan se deu em Blaenanerch, numa convenção. Após esta bênção do Espírito naquela convenção, o Espírito Santo falou para Evan Roberts voltar a Igreja Moriá, pois haveria um grande avivamento lá. Sobre isso, disse Evan: “... Orei e orei bastante para que pudesse acompanhar o culto, mas não pude. Os meus pensamentos vagueavam, e minha mente prendia-se a mocidade de Moriá. Havia uma voz como a dizer-me: ‘Você deve ir, você deve ir!’ Então conversei com o Sr. Phillips sobre isso, indagando-lhe se era voz do Diabo ou do Espírito. Ele me respondeu: ‘Não, não; o Diabo nunca nos dá tais pensamentos: Era a voz do Espírito Santo’”.
         Evan Roberts voltou a Moriá e começou a pregar. O resultado foi que Deus operou e o fogo caiu.
         Quando comecei a Igreja Batista Renovada Moriá, eu não conhecia a história do avivamento no país de Gales, nem a história de Evan Roberts. Deus é testemunha disso. Quando eu escrevi a apostila “A história da Igreja Batista Renovada Moriá”, também ainda não conhecia sobre a história do avivamento no país de Gales. No entanto, quando eu li a história do despertamento no país de Gales e da vida de Evan Roberts, eu fiquei espantado e ao mesmo tempo alegre ao ver os pontos em comuns desta obra do Espírito a que vimos e vemos em nossa igreja. Vejamos esses pontos em comum:
1)   A coincidência do nome de Igreja: Moriá;
2)   O que ocorreu entre eles foi pela instrumentalidade de jovens, assim como também entre nós. As críticas sofridas por eles em virtude disso são semelhantes as que sofremos. Vejamos: Evan Roberts tinha 26 anos. Maria (irmão de Evan) tinha 16 anos. Dan (irmão de Evan) e Sidney Evans estavam aí pelos vinte. As “irmãs cantoras” tinham entre 18 e 22 anos;
3)   A pregação mais conhecida de Evan Roberts foi inspirada no chamado recebido do Espírito que ele teve, e baseou-se em Gênesis 12:1-2. Esse foi exatamente o texto que Deus usou, quando me chamou para iniciar a Igreja Batista Renovada Moriá...
É bem verdade que ainda falta muito para alcançarmos o nível espiritual dos irmãos de Gales, mas Deus a cada dia sopra o seu Espírito mais forte sobre nós.
         Quem quiser que diga que essas semelhanças são mera coincidência, mas para mim, não há dúvida: É o reaparecimento do avivamento Moriá.
         Que nossa oração seja igual àquela que Evan Roberts ensinava as crianças da Igreja: “Envia o Espírito Santo a Moriá, por amor de Jesus”.
         Aleluia!

Pr. Glauco Barreira Magalhães Filho
Pastor da Igreja Batista Renovada Moriá

Artigo publicado no singelo Jornal Moriá, datado de Maio/Junho de 1992.









Nenhum comentário:

Postar um comentário