O Jornal Tocha da Verdade é um periódico trimestral independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

domingo, 30 de julho de 2017

Família e batalha espiritual


sábado, 29 de julho de 2017

Superintendente da SEAS convida Exército de Redenção Moriá para participar de plano estratégico de segurança pública

Nesta semana, o capitão Jean Carlos e a Tenente Débora Fidélis (Exército de Redenção Moriá) foram convidados pela Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo, órgão que trabalha com jovens em conflito com a lei, para fazerem parte de um plano estratégico para diminuir a violência entre jovens nas casas de privação, juntamente com outros grupos de evangelização juvenil de igrejas evangélicas. A lógica é simples. O Exército de Redenção Moriá tem evangelizado diversas casas de privação, levando a mensagem do Evangelho que transforma o indivíduo, não sendo uma ação social, mas um instrumento de resgate do indivíduo. Os trabalhos de evangelismos dos grupos estão resultando na restauração de jovens perdidos, razão pelo qual o Superintendente do órgão organizou a reunião para conhecer não só o ERM, mas os outros que trabalham nesse sentido provenientes de outras igrejas. Para o capitão Jean, a atitude e a percepção da autoridade estadual é louvável, pois abriu ainda maior oportunidade para reforçarem seu trabalho. Agora, a proposta do Superintendente é agregar a força evangelística de todos os grupos e focarem num projeto juntos para resolverem os problemas dos jovens no crime. 
Lembremos que o trabalho do ERM é sério e abnegado. Arde no peito desses oficiais a paixão pelas almas, como diria Oswald Smith; os perdidos são objetos de seu clamor e oração durante os cultos e vigílias, como faria John Hyde; as pregações são profundas e ousadas, cheias de unção, para atingir os mais duros corações e levá-los ao arrenpendimento, como fez Jonanthans Edwards. Enfim, é um trabalho levantado por Deus. Que Deus abra mais portas!  


Último dia da EBF Moriá

Crianças suspirando num sentimento de alegria e saudades... lágrimas e choros entre alguns... saber que amanhã todo o cenário estará desfeito deixa aquela dorzinha no peito. A EBF desse ano foi tremenda. Realmente deixou saudades... Ao longo dessa semana, foram momentos tão sublimes, tão encantadores, tão infantis que não poderíamos deixar de entrar no clima. Sentir o que as crianças sentiram não é capricho para fomentar marketing. É expressão sincera de quem participou de todas as atividades com olhar curioso, querendo vê os desenhos animados, assistir a tão emocionante peça teatral. 
Que peça! Foi realmente muito emocionante. Como aqueles simples irmãos que passam, às vezes, tão despercebidos conseguiram traduzir a mensagem da cruz com tanta destreza e talento? Olha, em Moriá existem muitos talentos para o Reino de Deus. Acreditamos que são pedras preciosas cuja lapidação está ocorrendo pelos vários processos pelos quais passam na carreira cristã. A peça teatral foi excepcional. A grande novidade desse ano foram os cenários virtuais dinâmicos desenvolvidos pelo irmão Leandro Sernache cuja habilidade com softwares de vídeos enriqueceu sem sombras de dúvidas a Maratona Monte Sião (nome da peça). A operação de áudio ficou a cargo de Ivanilson e Heberth que "deram conta do recado". O irmão Fabiano Santiago foi quem montou todo o script da peça, fazendo arranjos com literaturas e músicas cristãs da editora LMS do Brasil, uma editora Menonita. Mui sábia decisão e discernimento. Ao final, a peça foi aclamadíssima, muito júbilo e alegria por tão excelente programação (veja no final a aclamação).
Esse ano o foco da mensagem girou em torno da questão missionária. Por isso, Eric Lidell, missionário na China, foi apresentado às crianças através de cartoon (desenho animado). Parte das diversas Missões de Moriá foi apresentada para que as crianças verificassem que aquela atividade não se limitava aos vídeos apresentados, mas que é uma realidade na Igreja. 
Com o apoio do Exército de Redenção Moriá, as crianças puderam vê homens e mulheres abnegados cujo trabalho evangelístico tem sido reconhecido pelas autoridades do Estado do Ceará. Veja a entrada do Exército de Redenção Moriá na capela e algumas fotos do último dia da EBF:






preparação antes da peça

lanches distribuídos para as crianças

irmãos acompanhando a programação desde a rua









elenco da peça Maratona para Sião
VEJA A ACLAMAÇÃO DA PEÇA PELOS PRESENTES:



Retornando à EBF - sexta à noite

Dando seguimento a mais uma atividade espiritual, alegre e edificante, a EBF demonstrou cumprir seu papel forte e influenciador nas vidas das crianças participantes na noite desta sexta-feira(28∕07). Houve até crianças não querendo ir embora ou criando grande ansiedade para retornar no dia seguinte (29∕07) que será o último dia do evento.
A EBF não é resultado de uma mera estratégia, mas do envolvimento de todas as pessoas capacitadas que abraçaram esta causa para levar a mensagem da cruz às crianças. Os professores da EBF têm cumprido suas obrigações enquanto educadores cristãos com zelo e esmero. Estão preparados para tocar a alma das crianças com o amor cristão revelado por Cristo Jesus. Aliás, é o vínculo com o Todo-Poderoso que torna esse trabalho um dever ao mesmo tempo em que lhes dá um prazer espiritual sem medidas. Basta vê-los transmitir as mensagens do Evangelho com todo desprendimento, dando atenção a cada criança, orientando seu caminha, alimentando a necessidade de buscarem o Cristo...
Realmente, a glória, a honra e o louvor devem ser dados somente a Cristo, mas é através desses ilustres mestres que o Cristo é glorificado. Neles, encontramos um misto de carinho e seriedade, paixão e devoção, cuidado e zelo, para que através de seus exemplos as crianças possam desejar seguir a Cristo. As crianças estão saindo dos cultos (pois a EBF é um culto de louvor a Deus a partir das crianças) jubilosas e enriquecidas com as palavras dos devotados professores. Não há apelativos com elementos mundanos que somente serviriam para desfazer com os ideais espirituais, mas tudo gira em torno da espiritualidade dos professores que transmitem a Verdade da Palavra de Deus sem impedimentos, alimentando-as no leite espiritual a fim de que quando crescerem, ao chegarem à idade da razão, possam fazer sua profissão de fé. 
Que Deus honre e abençoe todos os exímios professores de crianças e protagonistas das atividades com as crianças: Fabiano, Ivina, Ramon, Rodrigo, Rafael, Rebeca, Karla, Larissa, Vitória, Janderson, Alex, Misael, Mateus, Marquinhos, Vaneide, Nalva, Maninha, Hévila, Livinha, Ione, Gleuda, Luís, pastor Glauco, Filipe, Alian, Eduardo, Gleisiano, Jean Carlos, Simone e Luciana.


Rainha Ivina

Luís, ô Capital América cearense

Rei Fabiano e Rainha Ivina


Professor Marquinhos

Professora Vaneire

Professoras Nalva, Hévila e Maninha

Professora Ione

Professora Lívia

Professora Simone

Eduardo

Professora Luciana

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Sob os céus da Escócia

Sob os céus da Escócia apresenta uma análise preliminar do dom de profecia entre importantes nomes do movimento Reformado e do Puritanismo, tais como Calvino, George Gillespie e Samuel Rutherford, bem como o relato diversas manifestações de profecia preditiva, curas e até ressurreição entre os puritanos escoceses dos séculos 15 a 17.
A obra remonta os ministérios de respeitáveis ministros reformados e calvinistas tais como John Knox, John Welsh, Robert Bruce, George Wishart, Alexander Peden, dentre outros. Com farta evidência bibliográfica, os relatos sobre os quais Cunha se vale foram colhidos a partir de fontes igualmente reformadas e calvinistas dignas da mais absoluta credibilidade. Historiadores como John Howie, Alexander Smellie, Peter Hume Brown, et al compõem a galeria daqueles que registraram para a posteridade aquelas manifestações.
Na obra, Renato Cunha faz uma breve análise panorâmica da Confissão de Fé de Westminster e da Assembleia que a formatou, apresentado-lhas àqueles que não estão familiarizados, e argumenta de maneira firme que a CFW não é rigorosamente cessacionista como uma ala do movimento reformado calvinista tem argumentado.
O autor nos brinda também com o relato de uma ocorrência de profecia no ministério de João Calvino, registrada e publicada por Theodore Beza, seu amigo íntimo e sucessor em Genebra.
Sob os céus da Escócia é leitura obrigatória para carismáticos, pentecostais e pesquisadores em geral.
Editora Carisma
Formato: 15x21cm
Nº de páginas: 256pp
ISBN: 978-85-920861-0-7

VOCÊ ENCONTRA ESTE LIVRO EM FORTALEZA:
Capela Moriá - Rua Nogueira Acionli, 2195 - Joaquim Távora
(85) 98843-2284 - Oi

Sola Scriptura e os dons de revelação: Como lidar com a atual manifestação do dom de profecia?

Na polêmica discussão sobre os dons extraordinários do Espírito Santo, a totalidade dos argumentos que apelam à teologia experimental tem sido rejeitada pelos cessacionistas. Esta rejeição centraliza-se na reafirmação imoderada de que o lastro para o estabelecimento de qualquer doutrina, ou de sua averbação, deve nascer de um estudo bíblico-sistemático e não de movimentos históricos, ainda que estes sejam recorrentes na história calvinista. Tal premissa, portanto, exclui até mesmo aquelas manifestações do dom de profecia e outros dons revelacionais como as registradas entre os puritanos ingleses e escoceses. Estas são regurgitadas no debate, mesmo quando reafirmadas em obras igualmente reformadas e calvinistas, como legítimas manifestações do Espírito.
Donatário de um raciocínio engenhoso, Don Codling se desvencilha da prática usual de expor relatos históricos e empreende uma defesa brilhante da contemporaneidade dos dons valendo-se unicamente dos pressupostos mantidos pela Confissão de Fé de Westminster em sua relação com as diretrizes do Sola Scripturæ. Codling argumenta de maneira incisiva que ambos têm sido equivocadamente manejados pelo cessacionismo enquanto afirma que o verdadeiro sentido do Sola Scriptura representa nossa melhor declaração quanto à responsabilidade de examinar criteriosamente a plena revelação de Deus sobre os seus dons.
Assim, este livro é uma resposta àqueles que enxergam profecias modernas como deslocando a autoridade das Escrituras e que rechaçam os movimentos pentecostal e carismático em razão de alegados erros doutrinários ou abusos cometidos. Também responde aos que insistem na afirmação de que somente aqueles que tiveram experiência com os dons de línguas e profecia têm legitimidade para falar a respeito. Para ambos os grupos, Codling faz um imperativo chamamento a que se voltem para as Escrituras e ouçam o que ela tem a dizer sobre todo e qualquer tipo de revelação, incluindo as manifestações nos dias atuais. Por fim, oferece valiosas recomendações pastorais sobre como a igreja deve disciplinar, com zelo e sabedoria, os excessos no uso irrefletido dos dons espirituais.

Sola Scriptura e os dons de Revelação é uma substancial tese de Mestrado no Westminster Seminary, instituição teológica das mais prestigiadas nos Estados Unidos da América. Tendo se passado meio século de sua defesa, nenhuma voz em Westminster se levantou para refutar seus argumentos, embora nem todas fossem discordantes. Com tudo que se segue nesta obra, Don Codling se credencia com méritos a fim de ocupar uma cadeira permanente no sempre atual debate que envolve os dons espirituais.
Autor: Don Codling
ISBN: 978-85-92734-00-8
Formato: 15x21cm
Nº de páginas: 234pp
Editora Carisma

Ano: 2016.
VOCÊ ENCONTRA ESTE LIVRO EM FORTALEZA:
Capela Moriá - Rua Nogueira Acionli, 2195 - Joaquim Távora
(85) 98843-2284 - Oi

Abdicando da autêntica fé – problemas de nosso tempo

Quem pensa ser a fé apenas um elemento imaterial utilizado para alcançar a graça salvadora está profundamente equivocado. A fé para a salvação garante a vida eterna, mas não está limitada a experiência de conversão, pretende ser agente ulterior, alcançando mente, coração e atos. Quem não entende esse preceito escrito, precisa retornar ao exame das Escrituras.
O cristão deverá ser fiel ao texto sagrado. Precisa está fundamentado por ele. Essas são máximas bíblicas inconfundíveis. Porém, um dos maiores embates de hoje se apresenta entre cultura versus Cristianismo. A cultura, segundo alguns, tem evoluído, enquanto a Escritura tornou-se obsoleta, necessitando de alguns reparos e ajustes para se adequar a pretensa vida de cristão moderno. Uma primeira questão já se apresenta um tanto quando desfavorável aos defensores dos modismos, pois perguntamos: é o Cristianismo o influenciador ou o influenciado? Pode o homem sobrepor-se ao preceito de Deus e rearranjá-lo segundo suas conveniências? Fazemos tal questionamento em razão de existir diversos conceitos cristãos transmitidos com muita força por uma multiplicidade de igrejas evangélicas, criando uma multidão de “cristãos” repensando o Cristianismo e reorientando-o a padrões divergentes ou a um (des)padrão do princípio. Cada igreja tem uma maneira própria de pensar seu cristianismo. Há quem diga que a fé é suficiente para salvação; outros dizem que são necessárias as obras. Tem quem diga que não há problemas em ser um indivíduo dúbio, ou seja, na igreja ser um cristão normal, enquanto que na vida secular ser um sujeito com valores mundanos. Esse ser indefinido é resultado das muitas influências seculares cujo bombardeio de falsas virtudes lhes são transmitidas diariamente, sem oportunidades de resistência visto que sua fé é tão insignificante que não consegue contrapor-se ao que, inclusive, é contrário aos preceitos de Cristo.
Para sermos bem didáticos, façamos uma comparação a fim de constarmos que os cristãos de hoje criaram um sério problema para si. Elejamos uma igreja tradicional “A”, fundada há bastante tempo, cuja história nos é narrada em crônicas, testemunhos, livros, fotos e vídeos. Verifiquemos sua primeira compreensão do Cristianismo, quais eram seus comportamentos e quais expectativas alimentavam. Visitemo-la no seu início, tentando compreender suas convicções. Depois disso, voltemos ao presente e olhemos com olhar crítico para vermos como essa igreja é. Se não houve mudança, desconsidere tudo o que foi dito para trás; mas se você consegue vê outra igreja “A”, muito embora esteja no mesmo lugar e leve o mesmo nome do princípio, atente para a infiltração de ervas daninhas no campo em que foi semeada, no início, a Palavra. Infelizmente, tornou-se comum esse fenômeno belial e o conformismo evangélico, cumprindo exatamente os ideais das virgens néscias e imprudentes, alertado pelo Cristo. Mesmo havendo uma exortação para precaução nesse sentido, muitos movimentos que nos recusamos chamar cristão perderam o norte. Poderíamos até relacionar uma série de condutas agressoras ao preceito cristão que são corriqueiros nesses arraiais evangélicos, mas que são reputados como coisas vantajosas. Para enumerar algumas, há crentes alcoólatras, fumantes, roqueiros, carnavalescos, e para agravar ainda mais esse problema, há crentes que acreditam na possibilidade de um cristão se suicidar.
A nosso ver, essa mentalidade demonstra uma crise de espiritualidade, podendo ser na realidade espiritualidade alguma. Tantos crentes racionais, estimulados pela cultura hodierna, só podem compreender a vida e definir seus rumos a partir de uma visão mundana. Lembremos, porém, que o reino deste mundo é provisório e passageiro, a cada dia que passa vai sucumbindo na sua própria corrupção. Daí, estarmos presenciando tantos problemas no mundo. Na verdade, no geral, são dois os problemas: a maldade do mundo e frieza espiritual da Igreja. Ambos se completam, impossibilitando a ação de Deus. A experiência da fé, entretanto, deverá nos despertar para uma intervenção divina. Somente com uma Igreja uníssona, tocando a trombeta em Sião, nós poderemos vê um grande despertar de Deus.
Que Deus tenha grande misericórdia!

Heládio Santos

Professor(IPC) e sociólogo

Frutos de uma juventude piedosa


Semana passada, quando foi realizado o congresso de jovens na capela  Moriá, deixamos de prestigiar um momento singular: os efeitos do congresso na vida de nossa juventude. Tentando, então, compensar esta brecha, fizemos um breve levantamento do que aconteceu para trazermos alguns fatos.
Pregaram no congresso os pastores Heládio Santos, Jander Lira e Diego Bruno. Durante as pregações verificou-se muita sede jovial pelas verdades bíblicas e pelos efeitos da unção de Deus. Não foi à toa que os cultos foram muito animados com brados de júbilo, orações fervorosas, contrição e ministrações da Palavra tremendas, direcionados e edificantes. Pareceria uma coincidência as pregações estarem alinhadas num mesmo foco e propósito, mas não houve prévia conversa entre os pastores para definirem o que pregar. O que se ouviu, desde a primeira até a terceira pregação, foi uma orientação suprema, proveniente do trono da graça do Cordeiro a fim de capacitar os jovens de Moriá. Deus, através de seu Espírito, elevou os pastores em discernimento, razão pela qual foram perspicazes para sentir sobre o que pregar. Foi tremenda essa orientação e as experiências causadas e motivadas pelas pregações deram o que falar, pois um grande despertamento espiritual se verificou entre os jovens.

No sábado (22/07), último dia do evento, os jovens ficaram tão extasiados com o que vivenciaram e experimentaram com mais uma pregação poderosa que, após o culto, saíram “ladeira a baixo” para a Praia de Iracema e Beira Mar para pregar com ousadia a Palavra de Deus. Esses jovens ficaram até às duas horas da manhã pregando e anunciando o Evangelho aos transeuntes cansados e oprimidos pelas noitadas da capital. 



Assista ao vídeo de parte da pregação:




quarta-feira, 26 de julho de 2017

Culto em Leipzig - Alemanha (Pr.Glauco) / Viagem 500 anos da Reforma Pro...

EBF - Terceiro Dia

Tem sido grande a frequência de irmãos e crianças durante as programações da EBF de férias. Até agora foram contabilizados quase 1.200 participantes nos três primeiros dias. Talvez estejamos vivenciando a mais bem planejada e mais bem elaborada programação para infantes que já foi realizada em Moriá. Com afinco e dedicação, o irmão Fabiano e Ivina, juntamente com todos os irmãos que têm protagonizado as ações, devem receber os louros pela ação evangelística, pois são os grandes responsáveis pelo sucesso até aqui deste grandioso evento. Desde cedo, bem antes de começar as atividades, muitas crianças e adultos chegam com novas expectativas para mais uma noite de EBF. Só estando presente para sentir o clima de empolgação reinante.
Talvez, deixar as crianças testemunharem o que estão sentindo seria uma resposta aos muitos esforços empregados. Vê uma criança feliz e alegre com tudo o que está sendo feito é o prêmio que qualquer bom organizador gostaria de alcançar. Vejamos o que algumas crianças relataram. Ao se referir a peça teatral, a criança Riana afirmou: “Eu entendi que o diabo quer ser o rei só que Jesus não quer deixar”.
Já Nicolas tem apreciado toda a movimentação em torno do ensino, especificamente na sua classe de escola bíblica. Ele disse: “Eu tenho gostado da escolinha com o irmão Marquinhos e com a professora Vaneide. Aprendi que é preciso se converter e se arrepender para não fazer pecados”.
Para Esther, o evento tem sido muito interessante pelas muitas propostas e atividades realizadas, segundo ela a EBF “tá legal, tá interessante, tá bem criativa. Eu tô gostando das duas histórias, uma do desenho animado do missionário Eric Lindell e da história da maratona para o monte Sião”.
A EBF de férias dará uma parada nesta quinta para realização do culto de doutrina, mas retornará na sexta (28/07) com a continuação de todas as atividades.


Venha participar, ainda dá tempo!






pastor Glauco ministrando para jovens e adultos


momentos da peça teatral



Suzana



Nicolas, Riana, Yasmin, Isabelle, Letícia e Milena 

Esther e Geovana

terça-feira, 25 de julho de 2017

Uma reflexão para a Igreja redescobrir o fervor evangelístico

Pr. Glauco descrevendo o Muro dos Reformadores em Genebra - Suiça

Mensagem do Pr. Glauco dentro do mosteiro agostiniano onde Lutero viveu ...

EBF - segundo dia

Com presença maciça de crianças de todas as idades, as atividades da EBF Moriá seguem a todo vapor. Uma das boas impressões que temos ao presenciar cada momento, dá-se devido ao fato de o evento ser esperado durante um ano inteiro, criando um anseio propenso para a internalização da maravilhosa mensagem do Evangelho. Além disso, a EBF está tão repleta de programações edificantes cujo ensino propõe o caminho pelo qual devem trilhar suas vidas que não poderia haver outro sentimento senão o de grande satisfação. Muito embora, algumas não estejam preparadas para compreender o que está em causa, a semente da Palavra de Deus é poderosamente semeada: com cuidado, com capricho, com carinho, com sabedoria, e acima de tudo, com muita oração e unção. Os professores de crianças tem um zelo precioso por este serviço visto que amam esses cordeirinhos que precisam encontrar o verdadeiro pastor.

No contexto, procuramos olhar a atenção de cada participante a fim de perceber o que de fato viam diante de si: uma simples atividade ou algo mais consistente; pretendíamos constatar o interesse de cada faixa etária diante do que estava acontecendo, principalmente, no momento em que a Palavra de Deus estava sendo ministrada. Tentamos capturar no olhar e na atenção das crianças a curiosidade pelo sagrado e por Cristo Jesus: olhares atentos, compenetrados, encantados, cheios de curiosidades, extasiados... Veja o resultado: