O Jornal Tocha da Verdade é uma publicação independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

c

c

terça-feira, 28 de maio de 2019

Uma noite Metodista



Poderia ter sido mais uma segunda-feira apática. Poderia... Em meio a esse contexto no qual ninguém, ou pelo menos muita gente, não gosta de alguma programação extralar, os que foram à Igreja Batista Renovada Moriá para celebrar mais um ano de História do movimento metodista, iniciado pelo famoso ministro John Wesley, puderam sentir um pouco daquele calor do avivamento consistente que marcou o século XVIII na Inglaterra.
Com cânticos provenientes da hinologia wesleyana, Fabiano Santiago e seu grupo de louvor, composto por Daniel, Ivanilson e Eduardo, elevaram em altíssimo nível o encontro. Os hinos entoados foram de autoria de Charles Wesley, contagiando nossos corações para nos colocar em sintonia com o espírito daquela época tão marcados pela piedade, devoção e reverência. Um bálsamo precioso para quem aprecia belas canções cristãs inspiradas, resultantes de horas de oração e leituras das Escrituras.
 Com uma fala muito primorosa, o pastor e pesquisador do metodismo Eduardo Vasconcellos (diretor da editora Sal Cultural) conduziu os ouvintes pelos caminhos que culminaram no Metodismo. Sua palestra muito objetiva apresentou aspectos desconhecidos por muitos da história de vida de John Wesley e sua família, bem como outros já conhecidos, mas que tiveram uma conotação de novo em meio a tantas informações valiosas. Os que encheram o templo de Moriá se viram enriquecidos pelo privilégio de terem ouvido conteúdos profundos e estimulantes para ousarem uma busca mais vibrante pela causa do Evangelho, inspirados na história de John Wesley, um marco inegável para os ingleses.
Os livros da Editora Sal Cultural (http://www.salcultural.com.br) foram vendidos com descontos e os leitores cristãos não perderam tempo para adquirir os seus.



Fabiano Santiago entoando louvores metodistas a Deus


Violinista Eduardo


pastor Glauco em oração

pastor Eduardo Vasconcellos








domingo, 26 de maio de 2019

21 anos: o ano da maturidade (Congregação Caça e Pesca)


Muitos olham para a pequenez das coisas com olhar desprezível, como se aquilo não pudesse tornar-se algo significativo no futuro. Essa mentalidade, muitas vezes, pautada pelo ceticismo tende a desacreditar dos propósitos de Deus pelo fato de não terem uma fé enraizada nem acreditarem que o mesmo Deus do passado é também o do presente, sendo capaz de tornar o insignificante em algo significativo. Aliás, está preceituado nas Escrituras que Deus é aquele cuja ação transforma o “não ser” em algo que “é”, emudecendo o falatório do mundo e dos que se deixam contaminar pela sua incredulidade.
A Congregação da Igreja Batista Renovada Moriá de Caça e Pesca começou e logo enfrentou grandes obstáculos, sendo o inimigo responsável por se levantar para fechar essa porta de pregação da Sã Doutrina com uma estratégia bem direcionada: desanimar os irmãos. Muitos dramas e tristezas cercaram a congregação ao longo dos anos, ferindo e derrubando muitos soldados que se demonstravam valorosos. Alguns foram vencidos, outros, apesar de serem subestimados, resistiram e lutaram pela obra com resiliência. Foram perseverantes acreditando na providência de Deus e no cuidado que tem com os que o invocam de coração. Não se frustraram! Viram Deus reestruturar novamente o corpo, trazendo e reunindo crentes compromissados e engajados. Homens e mulheres cujo coração foi resoluto em abraçar e amar esta obra como se fosse fruto dos seus ventres.
Por isso, neste sábado (25 de maior de 2019), a congregação celebrou seu vigésimo primeiro ano, reunindo-se com irmãos de várias outras congregações. Foi uma noite calorosa na qual não se via outra coisa, se não o Espírito de Deus contagiando os presentes em oração, em adoração e em reverência. Sob o efeito deste clima espiritual, pudemos ver o desempenho dos membros da congregação com muita desenvoltura, participante efetivamente do evento, desde o planejamento até a participação efetiva no culto. Realmente, o Caça e Pesca vive uma nova história; na verdade, uma maravilhosa história sentido o sabor agradável da comunhão, da honra entre os irmãos, do respeito mútuo, a preocupação espiritual de uns para com os outros, da sensibilidade que assiste o cristão no momento no qual é devido o cumprimento do segundo grande mandamento: “amar ao próximo como Cristo amou a Igreja”.
Não podemos esquecer que a congregação teve muitos líderes neste ínterim dos quais gostaríamos de destacar alguns cujo trabalho culminou neste estado espiritual. O irmão Luís, o diácono Jean Ramos e o evangelista Carlos representam estes lideres que deram o máximo para beneficiar a congregação. Cremos que ontem eles viram os efeitos de seu labor. Que Deus possa recompensar a cada um, bem como recompensar os irmãos que perseveraram nesta luta: irmão Marcos, irmã Pedrina e seu filho, irmã Rosa, irmã Tereza, irmã Ana (esposa do diácono Jean), o Tiago e o Lucas (filhos do diácono Jean), esses mais antigos, e os recém-chegados que transformaram a congregação no que é hoje aos quais gostaríamos de honrá-los através da pessoa do irmão Júnior cuja desenvoltura tem exercido um papel primoroso nestas ações espirituais. O evangelista André Elias, novo ministro que está à frente desta obra, conta com um quadro de crentes agraciados com os quais levará todos a patamares mais elevados. Que Deus abençoe abundantemente esta congregação muito amada.




Evangelista André Elias

irmã Rosa louvando a Deus


Evangelista Carlinhos e diácono Jean Ramos

irmã Ana Louvando







Refrigério de Deleite para a alma piedosa - IX

terça-feira, 21 de maio de 2019

Enquanto o Espírito esteve orientando a Igreja


Os grandes avivamentos espirituais da Igreja Cristã foram marcados pela presença do Espírito Santo agindo efetivamente na comunidade. Através de pregadores abnegados e cheios do seu poder, as pregações continham um vigor sobre-humano, influenciando muitos pecadores ao arrependimento, principalmente, pela operação de convencimento majestoso do Espírito. Ao constatar essa realidade, a Igreja temia e se colocava à mercê da fluência do Consolador prometido, sujeitando-se a Ele e triunfando através da vida de santidade.
Como o passar do tempo, o esfriamento, a apatia, a falta de memória dos feitos anteriores, alteraram o quadro, deslocando-se a Igreja “do vinho para a água”. Parece que a chama de uma geração não era recepcionada pela outra seguinte, fazendo com que o despertamento tão eficiente de outrora fosse substituído pelo desprezo humano. Mas, não se restringe apenas a tais situações. A partir do momento que cristãos passaram a observar o conhecimento das Escrituras pelas vias seculares, a chama espiritual também foi afetada, visto o suposto estudioso ter se encontrado como fonte da diretriz espiritual, reorientando, inclusive, doutrinas fundamentais há muito defendidas para propor uma visão mais achegada à contemporaneidade. Quando o conhecimento assume o papel da experiência bíblica, qualquer movimento se coloca no caminho da apostasia.
Por isso, quanto mais formos estimulados pelas Sãs Palavras em seu relato e doutrinamento da experiência pentecostal sigamos em busca de um novo avivamento. A Igreja que se preza não deixa para trás os marcos fincados, antes, traz sempre à memória e procura vivenciá-los como no passado, pois jamais se tornará obsoleto.    

terça-feira, 7 de maio de 2019

Livro "de Aldergate a Azuza" da Editora Sal Cultural


O livro narra histórias de mulheres e homens que, por causa de sua preocupação comum pela apropriação em fé da santidade pessoal e comunal, sob a ação poderosa do Espírito Santo, se esforçaram não só por uma vida de intensa piedade interior, mas também por um testemunho público no mundo a fim de corrigir problemas de injustiça sistêmica, a ponto de acolherem lideranças clérigas e leigas que frequentemente desafiaram as prevalecentes exclusões de raça e gênero na sociedade norte-americana. Infelizmente, historiadores da igreja em geral, e do metodismo e do pentecostalismo em particular, não têm dado suficiente atenção a esses históricos antecedentes teológicos do Movimento Pentecostal. O livro editado por Henry Knight III procura preencher essa lacuna e deve despertar entre estudiosos brasileiros o interesse acadêmico renovado nesta negligenciada trajetória de metodistas e pentecostais.
Num tempo de grande confusão identitária entre metodistas e pentecostais brasileiros no caldo da pós-modernidade desvairada dos neopentecostalismos que nos invadem por todos os lados, a publicação em português pela Editora Sal Cultural de “De Aldersgate a Azusa”, deve ser saudada com grande entusiasmo (sem trocadilhos!) por todas as pessoas interessadas em aprofundar seus conhecimentos histórico-teológicos sobre o metodismo e o pentecostalismo e deve passar a ser bibliografia obrigatória em todo e qualquer curso de graduação e pós-graduação que preze sua credibilidade acadêmica. 
Este livro estará disponível no templo da Igreja Batista Renovada Moriá para compra por ocasião da palestra do ministro e teólogo Eduardo Vasconcelos, editor chefe da Editora Sal Cultural no dia 27/05/2019.

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Biografia de John Wesley publicada pela Editora Sal Cultural


Líder Religioso, Teólogo. Ele é reconhecido como o fundador do movimento evangélico como Metodismo. Seu trabalho e escritos também desempenharam um papel de liderança no desenvolvimento posterior do movimento de santidade e pentecostalismo. Filho do reitor anglicano Samuel Wesley, recebeu sua educação inicial em casa, dada por sua mãe, Susanna Wesley.
Ele costumava viajar a cavalo, pregando duas ou três vezes por dia. Formou sociedades, abriu capelas, examinou e comissionou pregadores, administrou instituições de caridade, prescreveu para os doentes, ajudou a ser pioneiro no uso de choque elétrico para o tratamento de doenças, escolas e orfanatos superintendidos, absteve-se de carne e vinho e recebeu pelo menos 20.000 libras esterlinas pelas suas publicações, mas pouco usou para si. Ele morreu com a idade de 87 anos.
Neste volume, Bonamy Dobrée interpreta pontos controversos de acordo com as conjecturas mais gerais, identificando, por exemplo, “um amigo religioso” que se encontrou em 1725 com Varanese e evitou histórias apócrifas, exceto a que foi contada por Wesley na Charter House School; para esta lenda, se não foi fiel ao fato, foi tão fiel ao espírito, que o autor considerou justo incluí-la. A maior parte deste livro é dedicada aos seus primeiros anos de vida, para o homem em processo em vez da figura acabada.

Este livro estará disponível no templo da Igreja Batista Renovada Moriá para compra por ocasião da palestra do ministro e teólogo Eduardo Vasconcelos, editor chefe da Editora Sal Cultural no dia 27/05/2019.

Palestra sobre C.S.Lewis com o pastor e prof. Dr. Glauco Barreira Magalhães Filho


domingo, 5 de maio de 2019

"UNPLANNED" (filme antiabortista) ainda não tem data de estreia no Brasil


O filme “Unplanned” (Não planejado) é baseado em fatos reais. Narra a história de vida de Abby Johnson que foi diretora de uma clínica de aborto (Planned Parenthood) em Bryan, Texas, até 2009. O diferencial do filme destaca-se pelo drama vivenciado por Abby quando resolveu abandonar seu promissor emprego depois de assistir a um aborto realizado com ultrassom de um bebê de 13 semanas. Além de ser a mais jovem diretora de uma das unidades da PP e das clínicas americanas, auxiliou em mais de 22 mil abortos durante suas atividades por quase 8 anos. Talvez o que a tenha motivado a realizar o próprio aborto com medicamentos.
Atualmente Abby Johnson trabalha com o grupo “And Then There Were Nome” (ATTWN) do qual é a fundadora. Ela ergueu a bandeira pró-vida e luta contra toda prática abortista, dando também apoio a quem sofreu devido à prática. Em seu site (http://www.abbyjohnson.org/), ela manda um recado para compreendermos sua missão:

Minha missão - e a missão da minha equipe - é simples: estamos na luta pela vida porque somos pró-amor. Vemos que todas as vidas, desde a criança no útero, até os idosos - e entre elas, incluindo a vida do trabalhador da clínica de aborto, têm valor e valor incríveis. Acreditamos que o aborto retira as mulheres de sua dignidade. Acreditamos que a maternidade é empoderadora. Acreditamos que não se conformar e ceder às pressões sociais quando se trata de feminilidade é fortalecedor.
Acreditamos que a justiça se aplica a todos os seres humanos nesta terra. Acreditamos na redefinição do movimento pró-vida para incluir todos, todas as idades, raças, gêneros, religião e todos os empregos.

O filme foi lançado nos Estados Unidos no último 29 de Março, mas ainda não tem previsão no Brasil. O trailer, porém, mostra muito bem o drama abordado no filme gerando grandes expectativas dos que são opositores das práticas do aborto. Assista ao trailer:






quarta-feira, 1 de maio de 2019

Sobre escatologia bíblica

Não é difícil encontrarmos cristãos desencorajados no que diz respeito à interpretação profética da Bíblia. Para eles, apenas os grandes estudiosos das Escrituras podem informar com precisão o significado das profecias e como se darão os eventos do fim. É bem verdade que muitas dessas interpretações discordam entre si, de modo a servirem de parâmetro para dizermos que alguém está interpretando equivocadamente o texto, mas isso não deveria ser obstáculo para o livre exame e a livre interpretação, pois a profecia bíblica é direcionada para um sentido apenas no qual o discípulo autêntico tem à sua disposição.
A Bíblia nos ensina o verdadeiro com precisão, de modo que Jesus mesmo orientou seus discípulos a perceberem uma das virtudes do Espírito Santo, orientar a toda a verdade (João 16:13), para se apegar a possibilidade de fazer o uso correto da profecia e de outras verdades mais. Aliás, Deus jamais explicitaria sua verdade por mera vaidade, antes a proporia para que nós pudéssemos saber os tempos e as épocas do cumprimento de seus propósitos. De fato, há segredos irreveláveis, como o caso do dia e da hora da segunda vinda de Cristo (Mateus 24:36), mas outros, como os dias que o antecedem e os posteriores, cuja razão de estarem nas Escrituras é sua perfeita interpretação podem muito bem ser objeto de árduo estudo e de uma precisa conclusão.
Para o perfeito entendimento das profecias, julgo haver necessidade de um exame minucioso do texto bíblico e muita oração. Não se entende a Bíblia através de outros meios senão por ela própria. É a Bíblia interpretando a si mesma. O significado da oração na interpretação é exatamente colocar o coração à mercê da orientação divina, sujeitando-se ao direcionamento do Santo Espírito. Está formula espiritual não ocasiona resultados negativos, somente positivos.