O Jornal Tocha da Verdade é um periódico trimestral independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

A mídia e a sexualidade cristã

Nesta semana, foi publicada matéria sobre um evento nada convidativo para evangélicos: uma feira erótica. Não precisamos comentar que este tipo de programação fere a moral dos que professam a fé em Cristo, visto que deturpa o sentido coerente da sexualidade. Entretanto, na chamada, mais especificamente no texto, há uma indicação de que há produtos eróticos para evangélicos, induzindo o leitor a acreditar que esse público tem rompido com os paradigmas religiosos e incorporado uma conduta hedonista.
Não queremos dizer que alguns muitos evangélicos perderam o sentido da genuína e da tradicional fé, incorrendo em práticas semelhantes aos não tementes. Esse fenômeno pode ser elucidado pelo simples fato de que os que tais coisas praticam pertencem a um movimento novo cujo sentido tenta incorporar ao seu contexto condutas pecaminosas, através de uma reinvenção da maneira de ser do evangélico, ou seja, uma remodelagem mista com elementos aparentemente positivos da fé cristã e outra com grande aparato de contrariedades ao ensino primaz das Escrituras.
Além disso, o que está em causa é a conduta apelativa de uma mídia hodierna e sensacionalista vencida pela paixão desenfreada e pela ânsia de querer estabelecer uma sociedade sem limites sexuais (pelo menos é o que parece). Há sites de notícias e portais que todos os dias têm divulgado uma quantidade enorme de matérias com essa finalidade, fazendo apologia a diversos comportamentos sexuais que são contra a natureza, insuflando “a coisa” como uma proposta aceitável para esse tempo, promovendo a massificação da promiscuidade. Não sabemos quem está por trás e quais suas intenções, mas certamente tende a ser quem quer subjugar o pudor e o equilíbrio para as relações sexuais lícitas.
O povo evangélico tradicional e guardião das condutas bíblicas é estigmatizado por esses jornalistas medíocres por acreditarem que a vida sexual entre um casal decente tem muitas limitações, muito embora insinuem que esses queiram sair da relação tradicional, não rompendo com as mesmas por acharem que isso seria pecado. Piadas com ar zombeteiro tratam da relação cristã decente de forma desrespeitosa e por conta dos fiéis não admitirem a mesma prática mundana em sua intimidade, os “mestres impenitentes da arte poluta” caracterizam a devoção cristã como antiquada, engessada, piegas e alienante, demonstrando mais uma contradição midiática que, segundo ela, não se deve promover, antes se deve eliminar comportamentos como bullying e preconceito. Na verdade, um casal evangélico decente e consciente sabe se utilizar das práticas puras do sexo, afinal é uma dádiva proveniente do Senhor, sendo o prazer adquirido na relação uma satisfação proposta por Deus. A relação sexual bíblica tem um padrão e um sentido próprio, refletindo a pureza para a concretização perfeita do ato. O sexo não deveria ser vulgarizado em decorrência da consequência física, dentre outras, que isso acarretaria para os praticantes das indecências, mas... Na relação sexual cristã se encontra todo o prazer coerente, pois há uma troca de amor, carinho e pensamento de satisfação do próximo, ao contrário do que acontece no sexo mundano no qual é explícita a exaltação do ego, principalmente, porque pretendem buscar o prazer para si e não para o outro. Nesta relação mundanizante (estimulada pelas novelas, filmes e, agora até, em desenhos animados), o outro é apenas um objeto da satisfação particular que independentemente dos seus anseios cumpre um papel de “objeto de consumo”.
Extrapolar os limites decentes da relação sexual demonstra um desequilíbrio psicológico e de falta de domínio próprio do ser humano que anseia um prazer demasiado. Essa atitude faz com que esses busquem as mais bizarras e desumanas práticas, nas quais se verifica um minoramento/negação do respeito e da honra pelo outro. Casos de pedofilia, necrofilia, sodomia, estupros, entre outros semelhantes, cooperam para o que estamos descrevendo e a perpetuação desse modus de pensar enfraquecerá as relações mais amplas, corromperá a sociedade e será o prenúncio de sua decadência moral (ideia muito próxima ao que atestou Agostinho de Hipona). Contrariando nefasta depravação, Viva o sexo puro, instituído por Deus e desvencilhado dos rumos pretendidos pelos decadentes!

Heládio Santos
Sociólogo e especialista em Comunicação Social

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Aulas do IPC

O Instituto Pietista de Cultura(IPC), motivado pela adesão de novos alunos ao seu quadro discente, tem procurado dar uma maior condição de estudo para os que cursam Teologia Avançada. Devido às reformas no templo da IBRM, os alunos foram encaminhados para uma escola, próxima à capela, para que as aulas não tenham impacto nem prejudiquem a carga horária nem o desempenho dos alunos. Em salas amplas, ventiladas e com uma condição bastante favorável os alunos têm tido uma melhor desenvoltura.










segunda-feira, 10 de abril de 2017

Palestra do Rev. Glauco Filho sobre Design Inteligente no SIBIMA

Um dos seminários mais tradicionais de Fortaleza, o SIBIMA, convida Rev. Glauco B. M. Filho para palestra sobre Design Inteligente. O encontro foi realizado na última sexta (07/04/17) no auditório da instituição e contou com a presença de muitos amantes das Escrituras, que curiosos quanto ao tema, deixaram-se encaminhar pelo manancial muito bem articulado pelo pastor.

O tema será também explorada em evento da COMUNIE, promovido pelo referido pastor em parceria com o TDI Brasil – Sociedade Brasileira de Design Inteligente, cujo representante mais conhecido é o Dr. Marcos Eberlin. A programação ocorrerá em 10 e 11 de novembro de 2017. Fique atento para nossas notícias e informações.


sábado, 25 de março de 2017

Culto de Jovens de Maracanaú

Na noite deste sábado (25/03/17), a congregação da IBRM do Macaracaú realizou mais um culto de jovens, visando proclamar a Palavra da Vida. Os cultos de jovens do Maracanaú surgiram após a morte do jovem Alisson, tirado de nós de maneira repentina e prematura. Insatisfeita com a armadilha do inimigo e por querer ver os amigos de seu filho rendidos a Cristo, a irmã Alian é a grande responsável pelo evento. Ela foi e é uma das razões para promovermos essa reunião com grande amparo e dedicação.
Estiveram conosco neste abençoado culto as congregações do Mucuripe, Mondubim, Jardim das Oliveiras, Barroso, Por do Sol, Eusébio, Santa Fé, Siqueira e Barra do Ceará.
A condução do louvor ficou a cargo dos irmãos Ivanilson e Daniel, auxiliados pela Lívia, Hévila, Renan e Isaías. A Igreja foi impulsionada a adorar a Deus com todo desprendimento, trazendo a presença de Deus para aquele lugar. Deus faz questão de estar em lugares cujo altar é feito para ele, onde servos rendem-lhe tudo e consagram suas vidas. Jovens crentes e descrentes viram o fervor saltando dos lábios da Igreja adoradora.
A pregação foi proferida pelo irmão Ivanildo Mendes, líder da congregação do Jardim das Oliveiras. Um jovem homem pregando serve de referencial para mostrar a necessidade de os jovens voltarem-se para Cristo com muita urgência. Ele discorreu sobre a passagem da ressurreição de Lázaro com grande cuidado e vigor, procurando demonstrar aos ouvintes descrentes verdades sobre a morte e a vida.
Ao final, a Igreja alegrou-se com a conversão de três almas. Dois jovens e um senhor. Todos estavam constrangidos, choravam e já ousavam dar os primeiros brados de glória a Deus e aleluias. Um momento tocante e inspirador.

Um culto abençoadíssimo!!!






















sexta-feira, 24 de março de 2017

Novo evento da COMUNIE


segunda-feira, 20 de março de 2017

Marisa Lobo versus Fantástico (ideologia de gênero com série sobre “trans”)

Celebração no Barroso

Nesse último final de semana (de 17/03 a 19/03), a congregação do Barroso da IBR Moriá celebrou mais um ano de existência. Apesar de todos os problemas e dificuldades que ocorreram ao longo desses últimos meses, investidas do inimigo, provocações e desafios, os irmãos mantiveram a confiança no Senhor para que pudessem ser vitoriosos e alcançarem o favor divino pela perseverança apresentada. Sob a liderança do evangelista Jean Carlos, a congregação tem experimentado um despertamento para a seriedade, para o serviço evangelístico, para a busca de Deus pelas madrugadas e para outras virtudes exemplares do autêntico Cristianismo. Aliás, a congregação do Barroso, podemos dizer, tem sido o QG do grupo que tem agido como um exército para salvação de pecadores cujo objetivo é levar a palavra de evangelização com muita ousadia.

Muitas das congregações da IBR Moriá compareceram ao evento trazendo alento para os irmãos do Barroso. Foram noites marcantes nas quais os membros perceberam o quanto são estimados pelo presbitério de Fortaleza e pela Igreja. Que o Senhor posso conceder muito mais do que temos visto na vida de todos os irmãos do Barroso.















domingo, 19 de março de 2017

sexta-feira, 17 de março de 2017

Crítica ao filme “a bela e a fera” da Disney

A exibição do filme “a bela e a fera”, da Disney, foi iniciada nesta quinta (17/03) em várias salas do país. A finalidade, obviamente, estritamente capitalista, cria o entretenimento para diversão na tentativa também de infundir a moda do momento. Apesar do conto remontar um passado clássico cujas relações e valores eram bem diferentes das anomalias sociais do presente há uma mistura tendenciosa na qual conceitos são descontruídos e outros, segundo o interesse de minorias, é apresentado, como é o caso do primeiro personagem gay em filmes de longa metragem da companhia.
Como forma de rejeição e reação contra essa política da empresa, cristãos tem se mobilizado para não assistirem esse filme. Proprietários do cinema Henagar Drive-in, no Alabama(USA), resolveram não exibir o filme visto que ofende os valores morais das famílias tradicionais. A Rússia colocou em discussão a proibição do filme naquele país. Cerca de 95% dos cristãos americanos que gostam de ir ao cinema afirmaram que não assistirão o filme por representar um atentado às suas convicções. No Brasil, o pastor Silas Malafaia conclama cristãos a não assistirem esse filme.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Música gospel americana

A voz forte é inconfundível. A melodia, muitas vezes alegre, identifica suas raízes. A expressão musical contagia e eleva o público com o prazer de ouvir canções que aludem a uma realidade específica, mas que rompe com os limites estabelecidos pelo racismo americano. Os referidos elementos fizeram com que a popularidade, a influência e o apreço pela música evangélica negra se tornassem um fenômeno social. Sua inovação, na verdade, produziu uma renovação porque soube se utilizar dos meios espirituais para se consolidar. Mas, de onde vem e como se originou a gospel black music (música negra evangélica)?
Thomas A. Dorsey
Para alguns, esse estilo musical tem sua gênese como os demais, em vistas de não se preocuparem com uma análise melhor definida. Porém, a nação americana viu um dos maiores despertamentos espirituais da História da Igreja Cristã (Azuza Street) ocorrida em grande escala em zonas marginalizadas e periféricas de sua sociedade de oportunidades. Essa oportunidade, entretanto, não veio através de políticas públicas, mas por intermédio de um “vento impetuoso” que encheu muitos homens e mulheres sedentos do fervor divino. O misto de avivamento, ânsia de liberdade para integração social, talento e profissionalização fez surgir e evoluir esse estilo. Thomas A. Dorsey e o reverendo Herbert W. Brewster foram um dos pioneiros e expoentes do início do movimento musical avivalista, nos anos 20 e 30. A música e a linguagem serviram para promover o estilo em vistas das composições ganharem nova formatação (uma forma de inspiração e de exercício da criatividade espiritual) à medida que eram cantadas. Os incrementos para participação do povo e a improvisação, utilizando-se de acordes básicos, progressão de acordes padronizados, linguagens metafóricas e alusões constantes da Bíblia, ajudaram a estabelecer o vínculo para que todos estivessem integrados no louvor a Deus e no encorajamento individual para se vencer a mesmice.  
De contrapartida, o inimigo, sorrateiramente, vem contaminar esse despertar de avivamento musical; afinal, conhece muito de musicalidade e de seu encantamento. Logo que se verificou a grande aceitação do público, as empresas comerciais e gravadoras ingressaram no negócio procurando extrair o máximo possível, visando expandir o mercado da música gospel para sua maior lucratividade. A questão é que se percebe uma redução da espiritualidade, uma acomodação quanto aos valores divinos, um descomprometimento e um afastamento definitivo do padrão espiritual. Acredito que da década de 50, após o auge do movimento, começamos a ver uma declinação da espiritualidade e uma das razões mais explícitas quanto ao problema é o anseio de querer fazer sucesso a todo custo, saindo, inclusive, do aprisco do Mestre.
Elvis Presley com sua namorada Magdalene
Exemplos que podemos destacar foram os de Elvis Presley e Whitney Houston. Elvis Presley, desde sua infância, era assíduo membro da Igreja Assembleia de Deus. Na sua adolescência ouviu muitos hinos e aprendeu muito das Escrituras, entretanto, através de uma mudança inesperada passou a ser o transgressor, o rebelde, o profano e o ídolo que o mundo aclamou como rei do rock. Seu drama maior foi morrer devido ao excessivo uso de drogas e medicamentos. Seguindo a mesma linha, Whitney Houston cantava no coral da Igreja Batista onde se congregava e também participou do movimento pentecostal.
Tinha parentes que eram cantoras do mundo gospel, porém preferiu outro caminho, visando ampliar seu leque de fãs, atingindo muitos corações com sua voz talentosa e romântica. O fim de sua carreira, marcado também pelo uso de drogas, faz-nos vislumbrar o quão frágil é o homem/mulher que se aventura por um caminho nada espiritual. Whitney morreu ao chegar ao fundo do poço. Ambos cantores têm em suas composições uma influência enorme da música negra gospel, não foi à toa que fizeram tanto sucesso.

pastor Jimmy Sweggart
Atualmente, quem representa, com muito talento e refinado estilo o movimento ora exaltado, é Jimmy Sweggart. Esquecido no Brasil devido seu lapso ocasional continua agradando seus ouvintes com esse estilo tão puro e vibrante do gospel negro americano. Quem diria, um pastor autenticamente americano ser fortemente influenciado pela música afro-americana gospel? Creio que a ocorrência ainda é resultado do que a música negra gospel representou em Azuza Street, além de também demonstrar uma pessoa que tem uma interação genuína com pessoas negras em sua Igreja. O pastor Jimmy Sweggart é uma excelente recomendação para quem quer começar a ouvir o tipo musical do qual nos dispomos no momento.
Que Deus possa continuar a despertar homens e mulheres sérios para serem testemunhas de sua glória como o foram aqueles primeiros adoradores do avivamento americano. Hoje, muito se fala em talentos, mas sem espiritualidade, devido aos seus fins capitalistas e comerciais; mercenários e contradizentes das Escrituras. Há tantos artistas que fogem a uma caracterização do ser um autêntico servo de Deus que só podemos constatar mais uma artimanha do inimigo. E o pior? Se um deles ler isso, achará que é uma opinião desmedida. Contudo, sobre ele triunfará a falácia do opressor cujo pensamento é exatamente nesse sentido: quer que o artista pense exatamente isso de quem os critica.
Que Deus nos faça adoradores segundo o seu querer e não segundo o nosso!