O Jornal Tocha da Verdade é um periódico trimestral independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O tempo do fim

SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus... (II Tm 3:1-4):

Significados em sintonia com a contemporaneidade:
Homens amantes de si mesmos – exclusivismo que leva uma pessoa a se tomar como referência a tudo, excessiva vaidade, pretensão, orgulho, presunção, interesse que o ego tem por si próprio, egoísmo;
Soberbos – sentimento de altivez, comportamento excessivamente orgulhoso, arrogância;
Blasfemos – insulta a divindade, expressão ou afirmação que insulta ou ofende o que é considerado digno de respeito ou reverência, afirmação absurda ou ilógica, contrassenso;
Incontinentes – que ou quem não se controla, não se contém, não tem comedimento, moderação, que ou quem tem comportamento incontido, é imoderado nos gestos, palavras, atos, sentimentos, que ou quem não é comedido na sensualidade, na satisfação do apetite sexual;
Sem amor para com os bons – desafeição, desprezo, indiferença para os que praticam as virtudes cristãs devido o sentimento de inveja, ódio e o desgosto, e que é provocado pela felicidade, prosperidade de outrem;
Amigos dos deleites – deleite sexual, diversão frívola, procura do prazer individual, que somente se plenifica por meio de sua extensão para o maior número possível de pessoas.

Texto


Em um mundo que tem valorizado o homem e suas tendências pecaminosas, ainda que sejam explicitamente absurdas, percebemos uma terrível decadência da virtude cristã, elementos de boa fama e de valor constituídos como pilares para sustentação coerente da vida há tempos. O homem conheceu o equilíbrio e o patamar da coerência e agora os têm desprezado numa desesperada ânsia para consumar o censurável, justamente porque contraria a moral absoluta. Por mais que digam e ridicularizem essa premissa, o texto bíblico é eficiente e apontava para este fim desde a época apostólica. Portanto, sem mais delongas, o fim está próximo. Homens arrependam-se dos seus pecados. MARANATA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário