O Jornal Tocha da Verdade é um periódico trimestral independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

Comunie

Comunie

sábado, 12 de março de 2016

Avivamento em Goiana (PE)

O Jornal Tocha da Verdade dedica o texto abaixo a todos que tiveram o privilégio de ouvir os testemunhos nele relatados de púlpito pelo pastor Glauco ao chegar da viagem de Goiana (PE), mas que, infelizmente, não estão mais junto conosco.


Introdução

Pastor José Daniel
Trabalhou 22 anos na IBM
No ano de 1991, estive como pregador numa campanha de avivamento em Goiana (PE). O pastor José Daniel (in memorian) da Igreja Batista Missionária de Goiana colocou a Igreja em ORAÇÃO muitos dias antes da minha chegada e fez questão de me informar disso. Nesta apostila, relatarei o que aconteceu lá em CINCO DIAS como resultado da ORAÇÃO. O que ocorreu lá é apenas algumas gotas comparado com aquilo que Deus pode fazer se as igrejas perseverarem em ORAÇÃO COM MAIS ARDOR AINDA.
Vejamos o relato de acordo com o que escrevi no meu diário:

Goiana 23/10/91

Preguei à tarde no círculo de oração. Preguei sobre fé. O pastor Newton disse que aquela palavra era realmente a palavra que precisava ser ouvida.
À noite preguei sobre santificação pela graça. Muitos jovens atenderam ao apelo de santificar-se. Alguns em lágrimas.

Goiana 24/10/91

templo da Igreja Batista Missionária
em Goiana - PE
Hoje à tarde, ensinei para uma jovem que ela não devia usar atavios. Citei textos bíblicos e partes das minhas apostilas sobre o assunto. Tanto o pastor como o pai dela, que é evangelista, já tinham falado com ela sobre o assunto. O seu nome é Neide.
À tarde fui a casa da irmã Betinha, a irmã que havia profetizado minhas viagens de avivamento. Ela me perguntou se as viagens já tinham sido muitas, e eu respondi que sim, segundo ela havia dito.
Ainda à tarde, gravei mensagens evangelísticas para o programa evangélico de rádio; Naqueles dias em que estive em Goiana, foram gravadas mensagens para cada dia.
À noite preguei sobre a necessidade do crente ouvir a voz de Deus. Muitos crentes foram ao altar chorando, principalmente um diácono.

Goiana 25/10/91

Pela manhã preguei sobre o Batismo no Espírito Santo. Em meio a muito quebrantamento e lágrimas, 7 pessoas foram batizadas no Espírito conforme Atos 2:4. Alguns que se consideravam batizados no Espírito, mas que não tinham falado em línguas, não se ajoelharam. Fiz um apelo para que se ajoelhassem. Quando eles se ajoelharam, em aproximadamente 30 segundos, o pentecostes veio sobre eles. Quase todos foram cheios do Espírito segundo Atos 2:4.
Quando paramos de orar e todos sentaram, as pessoas ainda continuavam a falar em línguas, glorificar a Deus, tremer e chorar. Era uma poderosa visitação do céu que durou aproximadamente meia hora.
A irmã Neide, com quem eu havia falado sobre os atavios, agora sem atavio nenhum, foi convidada a cantar um hino na frente. Ela só conseguiu depois de um bom tempo, pois chorava e tremia sem parar.
Noto que quase todas as pessoas sobre quem eu imponho às mãos, são batizadas no Espírito.
No culto à noite, preguei uma mensagem evangelística. Os crentes estavam muito quebrantados, mas os incrédulos resistiram ao apelo.

Goiana 26/10/91

No culto à noite, senti profunda unção. O povo chorava muito, quase todos. Era quebrantamento geral. Duas pessoas aceitaram Jesus como Salvador. UMA EM COPIOSAS LÁGRIMAS. A outra estava sendo discipulada pelos “testemunha de Jeová”, mas preferiu Jesus.
Após o culto normal, preguei novamente, especialmente para a mocidade. Senti alguns quebrantados em lágrimas, e outros jubilantes. Foi muito edificante.

Goiana 27/10/91

Preguei pela manhã sobre o poder do Espírito Santo. No meio da mensagem comecei a tremer até o queixo, o povo começou a sentir o mesmo poder; não podíamos mais continuar a pregação. A visitação do Espírito Santo começou, muitos glorificavam a Deus, tremiam, choravam, falavam em línguas. Soube depois do culto, que PELO MENOS DOIS foram batizados no Espírito Santo conforme Atos 2:4. A visitação divina durou uns 15 minutos. Passei a palavra ao Pastor Daniel que chamou os jovens, noivos, depois os casado, depois as viúvas para irem à frente receber oração. Depois das orações, o chão estava molhado de lágrimas.
À noite, no culto, antes da pregação, um jovem pediu para falar comigo. Fui até o gabinete e conversei com ele. Ele me disse que via todo o povo sentindo a presença de Deus, mas não conseguia experimentar. Dei-lhe algumas orientações, e fui ao púlpito pregar. Quando pregava, uma poderosa visitação veio sobre este rapaz. Ele chorava muito e tremia. Após o culto, ele disse que foi maravilhoso e que nunca experimentara aquilo. Ele, então, abraçou uma senhora crente (irmã Betinha), após perguntar se poderia, e começou a chorar. A irmã idosa se alegrava no Espírito com ele.
O quebrantamento e choro neste culto era geral, quase todos choravam. No apelo, 17 pessoas aceitaram Jesus como Salvador, sendo muitos em copiosas lágrimas. Senti poderosa unção. Depois do apelo, o pastor chamou seu filho para cantar um hino. Ele chorava e tremia com o microfone na mão, e não conseguia cantar. Na verdade, foi a igreja quem cantou.
No fim do culto, quando cumprimentava as pessoas, ouvia expressões tais como: “Volte breve”, “Obrigado Pastor”, “Minha vida foi mudada”, “Não sou mais a mesa pessoa”, “Alcancei resposta de Deus”, “Agora estou compreendendo as coisas”.
A igreja me deu vários presentes de acordo com os departamentos (mocidade, senhoras, senhores, adolescentes e juniores). Também um casal de noivos me deu um presente.

Goiana 28/10/91 (último dia)

Visitei a irmã Betinha. Ela disse que sua mãe que da outra vez que eu estive em Goiana estava tendo alucinações, mas que eu orei por ela, havia ficado completamente boa desde aquela oração.
À tarde, a irmã Neide foi aonde eu estava, com outra irmã, pedir para bater Xerox das minhas apostilas sobre os atavios. Ela havia falado o que aconteceu com ela para outras irmãs e as outras irmãs se interessaram pelo assunto. Ela, então, bateu Xerox.

Conclusão

Deus ainda pode fazer mais, se tão somente orarmos, orarmos e continuarmos orando...

Pr. Glauco Barreira Magalhães Filho
Igreja Batista Renovada Moriá






Nenhum comentário:

Postar um comentário