O Jornal Tocha da Verdade é uma publicação independente que tem como objetivo resgatar os princípios cristãos em toda sua plenitude. Com artigos escritos por pastores, professores de algumas áreas do saber e por estudiosos da teologia buscamos despertar a comunidade cristã-evangélica para a pureza das Escrituras. Incentivamos a prática e a ética cristã em vistas do aperfeiçoamento da Igreja de Cristo como noiva imaculada. Prezamos pela simplicidade do Evangelho e pelo não conformismo com a mundanização e a secularização do Cristianismo pós-moderno em fase de decadência espiritual.

IPC

IPC

segunda-feira, 14 de maio de 2018

A Era Dourada dos hinos cristãos


Charles Wesley escreveu 8.989 hinos cristãos. Charles era tão fluente e inspirado na sua poesia musical que se computarmos suas estrofes e refrãos chegaremos a uma média de 10 linhas escritas por dia durante 50 anos para completarmos seu acervo. Charles e John Wesley publicaram 56 coleções de hinos em 53 anos.  
Quando Charles voltou para Oxford, advindo de sua viagem à América, tomou a maior de todas as decisões: reconheceu que seus compromissos religiosos careciam de uma fé simples em Cristo para cumprir o verdadeiro cristianismo. Atitude que o impulsionou a fazer a profissão de fé em 21 de maio de 1738. Neste dia, ele abriu sua Bíblia no Salmo 40:3 e leu: “Ele colocou uma nova canção em minha boca; muitos verão e temerão e confiarão no Senhor”.  
Charles era um exímio pregador ao ar livre de modo que se dirigia a multidões de 10.000 e 20.000 pessoas. Ele experimentou oposição considerável, às vezes de multidões que arremessavam pedras. De fato, seu conhecido hino “Ye Servants of God, your Master Proclaim” foi escrito para ser cantando “em tumulto”.
Charles Wesley rapidamente ganhou admiração por capacidade de capturar a experiência cristã universal em versos memoráveis. No século seguinte, Henry Ward Beecher declarou: “Eu preferiria ter escrito o hino de Wesley, “Jesus, Amante da Minha Alma”, do que ter a fama de todos os reis que já se sentaram na terra. O compilador do Dicionário de Hinologia, John Julian, concluiu que “Talvez levando em consideração a quantidade e qualidade, Charles Wesley era o maior escritor de hinos de todas as eras”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário